Presidência da ESCS renova mandato

Publicado: 06 julho 2022

O Prof. Doutor André Sendin foi reeleito Presidente da ESCS e liderará a Direção da Escola por mais quatro anos.

Na passada segunda-feira, dia 4 de julho, decorreu, no Salão Nobre dos Serviços da Presidência do Politécnico de Lisboa (IPL), a cerimónia de tomada de posse do Prof. Doutor André Sendin como Presidente da ESCS, renovando, assim, o cargo para o mandato que agora se inicia e se prolonga até 2026.
Na mesma ocasião, André Sendin empossou a Prof.ª Dr.ª Alexandra David e a Prof.ª Doutora Sandra Miranda como vice-presidentes da Escola, mantendo a equipa que liderou a gestão da Escola entre 2018 e 2022.

O Prof. Doutor André Sendin preside a Direção da ESCS, que conta com as professoras Alexandra David e Sandra Miranda como vice-presidentes.
Fotografia: Gabcom (Serviço de Comunicação da ESCS)

Doutoramento: o “maior desafio”

A cerimónia foi presidida pelo Prof. Doutor Elmano Margato. Ao dar posse a um governo que apelidou “de continuidade”, o Presidente do IPL colocou em cima da mesa aquele que considera ser “o maior” desafio que quer a ESCS quer o próprio Instituto enfrentam: a possibilidade de os politécnicos conferirem o grau de doutor. Para Elmano Margato, a ESCS é uma instituição “de referência” que está apta para criar as “condições para outorgar um doutoramento”. O responsável máximo do Politécnico de Lisboa incitou, assim, a Direção da Escola a empenhar-se na “consolidação do desenvolvimento científico”, no sentido de “darmos este passo em frente”.

Liderar a presidência da Escola

No discurso de tomada de posse, o Prof. Doutor André Sendin agradeceu a todos os que, no último quadriénio, marcado pelo contexto pandémico de COVID-19, trabalharam de perto com a Direção. “Foram, de facto, anos muito difíceis, [com] cenários muito incertos”, sublinhou. Agora, “virando a página”, o Presidente da ESCS acredita que “estão criadas todas as condições para olharmos para o futuro e fazermos uma liderança partilhada”, no sentido de “sermos pró-ativos na gestão da Escola”.
Em jeito de sumário, André Sendin enunciou os desafios que a presidência assume para os próximos quatro anos, os quais passam por cinco eixos estratégicos. No que diz respeito ao Ensino, o Presidente considera que “está na hora de olharmos para os cursos”, referindo que “no nosso horizonte” se antevê a reestruturação da oferta formativa. Quanto à Investigação, defende que a criação de um doutoramento em Comunicação é “extremamente importante”, ideia que vai ao encontro do repto lançado por Elmano Margato. Na Internacionalização, faz sentido apostar em parcerias de investigação além-fronteiras, uma vez que o eixo da mobilidade está “muito desenvolvido”. Já no que concerne à Relação com a Sociedade, pretende-se que a Escola continue de portas abertas para a comunidade. Por fim, quanto à Gestão das Equipas e das Lideranças, André Sendin acredita que, apesar dos “poucos instrumentos” disponíveis, “temos de premiar e motivar aqueles que trabalham com empenho e afinco”, pois “a Direção não faz nada sozinha” e, para tal, “é preciso contar com a ajuda de uma grande equipa”.

Consulte aqui o Plano Estratégico da ESCS para o mandato 2020-2026.

A Prof.ª Dr.ª Alexandra David e a Prof.ª Doutora Sandra Miranda são as vice-presidentes da ESCS.
Fotografia: Gabcom (Serviço de Comunicação da ESCS)

Já na qualidade de Presidente da Escola empossado, o Prof. Doutor André Sendin nomeou as colegas Alexandra David e Sandra Miranda como vice-presidentes, cargo que já ocupavam no último mandato. “Tenho a certeza de que vamos trabalhar a um grande ritmo e vamos puxar pela Escola”, afirmou o Presidente, com entusiasmo.

Os membros da Direção da Escola com o Prof. Doutor Elmano Margato (Presidente do IPL) e o Prof. Doutor António Belo (Vice-Presidente do IPL).
Fotografia: Gabcom (Serviço de Comunicação da ESCS)