Porquê o mestrado na ESCS? – Parte 2

Publicado: 16 junho 2017

Em período de candidaturas, os diplomados da ESCS falam sobre a mais-valia dos mestrados. Esta semana, damos a conhecer Pedro Reis, mestre em Jornalismo, e Inês Silva, mestre em Publicidade e Marketing.
As candidaturas decorrem até ao dia 12 de julho.

Pedro Reis
Jornalismo

Após uma licenciatura em Ciência Política, Pedro Reis decidiu ingressar no mestrado em Jornalismo, por ser uma área que sempre lhe despertou um “grande interesse” e devido à componente prática e às boas referência que tinha em relação ao curso. Atualmente, é jornalista no jornal online Notícias ao Minuto.

O ex-aluno refere que o mestrado conseguiu colmatar as “bases importantes” que lhe faltavam para exercer a profissão. “O plano de estudos está bastante equilibrado, conjugando uma base teórica e de investigação com uma componente prática, ao nível da rádio, imprensa, televisão e digital, que faculta competências fundamentais para a entrada no mercado de trabalho”, explica. Pedro destaca, ainda, a qualidade do ensino e o contributo de alguns docentes, que contribuíram para o seu crescimento profissional e inteletual.

Como trabalho final de mestrado, realizou um relatório de estágio com base em três meses de estágio no jornal Público, intitulado “O Newsmaking da secção Mundo do Público”. No trabalho, o escsiano analisou “os principais constrangimentos existentes no processo de produção de notícias, com particular ênfase nos desafios que se colocam, atualmente, ao jornalismo, como o impacto da tecnologia”.

A par do curso, Pedro destaca “o excelente ambiente que se vive dentro da Escola […] que facilita e estimula a experiência académica”.

Inês Silva
Publicidade e Marketing

Inês Silva é mestre em Publicidade e Marketing (PM). Resolveu concorrer à ESCS, após uma licenciatura em Ciências da Comunicação (com especialização em Jornalismo e Comunicação Estratégica), por sentir que era uma Escola que “dá ferramentas para enfrentar o mundo real”, tanto pelo corpo docente como pelo plano de estudos. Trabalha como Content & Social Media Assistant Director na comOn, onde cria e coordena, criativa e editorialmente, conteúdos e estratégias de social media.

A escsiana refere que a Escola representa o seu “convite de entrada para o mundo do trabalho”, uma vez que começou a trabalhar na agência de publicidade BBDO devido a uma proposta de ativação de marca que realizou para uma disciplina. “Isto diz muito sobre o impacto que o mestrado pode ter na nossa carreira, ainda antes de o acabarmos. Cresci profissionalmente ao mesmo tempo que o fazia academicamente”, sublinha.

No seu trabalho final de curso, procurou dar “uma solução criativa a um problema real”, através do trabalho “Projeto de conceito e estrutura de website para o combate ao abandono animal em Portugal”. The Redog Project tratava-se de uma plataforma, na qual os utilizadores tinham um “perfil próprio e dinâmicas gaming e sociais” e podiam “adotar, apadrinhar, doar, conhecer ‘finais felizes’, reportar cães abandonados e ter ajuda na pós-adoção”.

Inês defende que o mestrado em PM é “um curso realista, ajustado ao mercado e que dá resposta a necessidades reais deste”, no qual teve desafios com os quais se depara diariamente na sua profissão e em que aprendeu muita da informação que, agora, usa no seu dia-a-dia.

 

Recorde aqui os testemunhos das mestres em Audiovisual e Multimédia e Gestão Estratégica das Relações Públicas.

* Fotografias gentilmente cedidas por Pedro Reis e Inês Silva.