Uma Academia para ler o mundo

Publicado: 09 outubro 2019

“Academia da Leitura do Mundo” é um dos 35 projetos selecionados da segunda edição do concurso Academias Gulbenkian do Conhecimento.

O projeto de investigação “Academia da Leitura do Mundo: o jornalismo, a comunicação e eu” integra a segunda edição do concurso Academias Gulbenkian do Conhecimento, uma iniciativa da Fundação Calouste Gulbenkian (FCG) que visa promover as competências sociais e emocionais de crianças e jovens até aos 25 anos. O projeto coordenado pela Prof.ª Doutora Fernanda Bonacho foi uma das 35 Academias selecionadas de entre mais de 400 candidaturas.

Prof. Doutor André Sendin (Presidente da ESCS) e Prof.ª Doutora Fernanda Bonacho (coordenadora do projeto de investigação “Academia da Leitura do Mundo”)
Fotografia: Gabcom (Serviço de Comunicação da ESCS)
O Diretor do Programa Gulbenkian Conhecimento entregou o protocolo ao Presidente da ESCS.
Fotografia: Gabcom (Serviço de Comunicação da ESCS)

A cerimónia de entrega dos protocolos às entidades promotoras das novas Academias teve lugar, no dia 7 de outubro, no Auditório 2 da FCG. Em representação da ESCS, o Presidente da instituição, Prof. Doutor André Sendin, recebeu o protocolo das mãos do Doutor Jorge Soares, Diretor do Programa Gulbenkian Conhecimento.

O projeto da docente da Escola, financiado pela FCG e que terá a duração de 36 meses, tem como objetivo principal criar um espaço de promoção de competências para dizer e compreender o mundo, ser consciente e ativo em sociedade. Através de uma experiência imersiva no mundo da comunicação social, a “Academia da Leitura do Mundo” pretende dotar os jovens entre os 14 e os 25 anos de ferramentas para descodificar as notícias, questionar o consumo passivo de informação e estimular uma postura crítica e construtiva adequada aos desafios da cultura noticiosa e mediática contemporânea.