Trabalhar em nome próprio

Publicado: 19 janeiro 2018

Elsa Martins e Susana Almeida são licenciadas em Audiovisual e Multimédia e têm projetos pessoais nas áreas do design e da ilustração.

somebodyelsa, assinado por Elsa Martins, e Feliz é quem diz, de Susana Almeida, são dois projetos dedicados ao design e à ilustração. As autoras são ex-alunas do curso de licenciatura em Audiovisual e Multimédia e têm em comum o facto de trabalharem exclusivamente em nome individual.

Elsa Martins começou a usar o seu “eu online”, somebodyelsa, por sugestão de um amigo, no início de 2013, quando quis registar um domínio para o seu portefólio sem ter de usar o seu nome próprio. “Não é uma história emocionante nem romântica, mas acabou por funcionar bem. Acho que mostra, logo à partida, uma parte divertida da minha personalidade, que tento passar para o meu trabalho”, explica.

O site começou por ser um espaço de partilha das suas ilustrações, quando ainda não tinha muitos clientes, sofrendo mudanças e crescendo à medida em que a própria foi evoluindo. Quando começou a ter mais clientes, começou “a separar mais as coisas, sem pensar muito nisso”. Atualmente, Elsa transforma os seus desenhos em prints, calendários, cadernos, entre outros objetos, disponíveis para venda na loja online. “Se fizer alguém rir ou sorrir, eu considero que fiz um bom trabalho”, reflete a ex-aluna.

No mesmo ano, surgiu o Feliz é quem diz, “num período de mudança e de alguma instabilidade emocional” da vida de Susana Almeida. Entre trocas de emprego, deu por si a trabalhar num local que em nada correspondia à sua personalidade e começou a pensar no que poderia fazer para se sentir melhor e “deitar cá para fora tudo o que é a Susana”. O nome surgiu por acaso. E tudo começou com um “feliz é quem fotografa”, para não mais parar.

A escsiana explica que há um pouco de si em cada ilustração que desenha, seja “o padrão de uma saia, uma tatuagem, uma cor de cabelo ou um detalhe”. Características pessoais que, na sua opinião, são universais, na medida em que todos procuram a felicidade e encontram-na nas “pequenas coisas que tornam as nossas vidas mais preenchidas”. Para além da loja online, Susana participa, também, em feiras e mercados, nos quais vende os vários objetos onde aplica as suas ilustrações: calendários, canecas, aventais, ardósias, entre outros.

Ilustradoras felizes

Atualmente, as escsianas dedicam-se, como Susana descreve, “a full time e a full heart“ aos seus projetos pessoais. Porém, antes de darem este passo, tiveram ambas um período de adaptação, no qual trabalharam como designers.

Elsa explica que o que fazia que não chegava para se sentir preenchida, acabando sempre o dia e os fins de semana a “desenhar coisas que [a] faziam feliz”, sendo, precisamente, a felicidade que destaca deste percurso, que a concretiza todos os dias, desde 2016. “É mais difícil do que eu pensava que ia ser, mas a verdade é que todas as conquistas têm um sabor especial porque são mesmo minhas”, confessa.

Elsa Martins aplica as suas ilustrações em diversos materiais.

Por seu lado, Susana trabalhou em paralelo com o Feliz é quem diz durante um ano, de forma a “consolidar alguns conhecimentos e juntar algum dinheiro para poder dar o salto” e percorrer o seu caminho, um pouco incerto mas “feliz e [com] muitas histórias boas no bolso”. Do percurso, destaca as pessoas que tem vindo a conhecer no processo e que enchem a sua vida de “histórias felizes”.

Susana ilustra as pequenas coisas da vida que tornam os dias mais felizes.

Durante o Ensino Superior, as ilustradoras cruzaram-se nos corredores da ESCS, da qual destacam a componente experimental. Susana refere, inclusivamente, que o “bichinho do design gráfico” surgiu “de entre as várias experiências que a ESCS [lhe] proporcionou”. Elsa acredita que “que a ESCS não é só uma Escola, é uma casa”, na qual os estudantes têm oportunidade de aprender “tanto fora quanto dentro das aulas”.

* Fotografias gentilmente cedidas por Elsa Martins e Susana Almeida.
* Créditos da fotografia de Susana Almeida: Luisa Starling.