O que fazemos na Internet

Publicado: 13 dezembro 2018

O projeto Living Lab quer perceber como nos comportamos na Internet. Durante um ano, os investigadores vão estudar o histórico de navegação de um painel de alunos da ESCS.

Como navegamos na Internet? É a esta pergunta que o Living Lab on Media Content and Platforms (ou, simplesmente, Living Lab) se propõe responder. Este projeto de investigação tem como objetivo estudar os hábitos de utilização da Internet, na zona de Lisboa. Para tal, serão recolhidos dados através de técnicas de registo de comportamento, a partir de um painel de utilizadores, combinadas com técnicas de inquirição habituais, como é o caso dos questionários.
Este projeto, financiado pela FCT (Fundação para a Ciência e a Tecnologia), resulta de um consórcio liderado pela ESCS, do qual fazem parte a Universidade de Aveiro, o Instituto Politécnico de Leiria, o Instituto Politécnico de Santarém e a empresa de criação de soluções tecnológicas Innovation Makers. O Living Lab é coordenado pelo Prof. Doutor Filipe Montargil, docente responsável pelo curso de Mestrado em Audiovisual e Multimédia.

O projeto Living Lab on Media Content and Platforms pretende estudar os hábitos de utilização da Internet, na região de Lisboa.

Um “painel de excelência”
Na fase que agora se inicia, o projeto estudará, durante doze meses, de que forma uma amostra de estudantes da ESCS utiliza a Internet, em ambiente desktop/laptop (para já, o mobile não está contemplado). Neste âmbito, os alunos são convidados a participar num painel que os investigadores designam de “excelência”.
Para integrar o estudo, basta efetuar o registo no formulário que dará acesso a uma extensão, a qual deverá ser instalada no browser Google Chrome. É esta instalação que permitirá monitorizar os participantes, sendo de referir que, a qualquer momento, é possível suspender a monitorização e, mais tarde, voltar a ativá-la.
Já no que diz respeito à privacidade, os investigadores garantem o anonimato do painel, até porque, no momento do registo, a identificação não é obrigatória. Os participantes podem adotar um nickname em vez do seu nome verdadeiro.
Como forma de incentivo, os estudantes receberão uma powerbank, no ato do registo, para além de se habilitarem a ganhar prémios em sorteios que terão lugar em 2019.

Um estudo “inovador”
Filipe Montargil esclarece que a ESCS é a primeira instituição de Ensino Superior Público na Europa a recorrer a um painel de utilizadores como instrumento de recolha de dados. “A Academia tem pouca informação sobre o que fazemos na Internet e nós propomos uma observação direta das práticas online”, argumenta. Para o investigador, trata-se de “um estudo de ponta e inovador, numa escola que também aposta na investigação”.

Se pretender obter mais informações sobre este estudo, contacte geral@llmcp.pt.