Jornalismo desportivo

Publicado: 10 maio 2019

Perfil JORN: André Neto de Oliveira

André Neto de Oliveira é licenciado em Jornalismo e, atualmente, alia duas das suas grandes paixões: o desporto e a televisão.

“Desde que me conheço que quero ser jornalista”, começa por referir André Neto de Oliveira. Ainda frequentava o Ensino Básico, quando reparou no edifício da ESCS, sempre que passava na 2.ª Circular. Cedo percebeu que, um dia, queria ingressar na Escola. No ato da candidatura, foi a sua primeira opção. “Só não foi a única, porque a minha mãe me obrigou a pôr outras duas”, conta, divertido.

André Neto de Oliveira é licenciado em Jornalismo.
Fotografia: Gabcom (Serviço de Comunicação da ESCS)

O envolvimento da comunidade escolar

André ingressou no curso de Jornalismo, em 2008. Há quase dez anos a trabalhar na área, refere que tem vindo a constatar que “a vertente prática do curso dá algum avanço, em comparação com alunos de outras escolas”, que não tiveram o mesmo tipo de aprendizagem. Da licenciatura, destaca, ainda, o corpo docente, “pessoas de excelência que te conseguem abrir os olhos” para a realidade laboral, e o know-how que o plano de estudos, “que está muito bem estruturado”, confere. “Quando chegas ao mercado de trabalho, apercebes-te mais disso do que quando estás a estudar”, confessa.

Para além da licenciatura, André envolveu-se em diversas atividades extracurriculares.
Fotografia: Gabcom (Serviço de Comunicação da ESCS)

Para além dos cursos, “outro aspeto fundamental que diferencia” a ESCS das outras instituições é o envolvimento da comunidade de estudantes na vida académica. André explica que participou em quase todas as atividades extracurriculares da Escola e que não consegue ver-se “enquanto estudante do Ensino Superior” sem passar por elas, seja como dirigente associativo, dirigente da escstunis, colaborador no E2, Presidente da Comissão de Receção ao Aluno, entre outras. Para o antigo estudante, esta participação permite “conhecer, por dentro e por fora, a realidade de todos os cursos”, através do contacto com os seus estudantes, e “chegar ao mercado de trabalho com valências com que alunos de outras instituições não chegam”.

Percurso em Jornalismo Desportivo

O escsiano faz parte da equipa fundadora do canal Sport TV +, onde trabalha como pivô.
Fotografia: Gabcom (Serviço de Comunicação da ESCS)

Quando terminou a licenciatura, em 2011, André iniciou o seu percurso profissional com um estágio, no jornal Record. Três meses depois, foi convidado para fazer parte da equipa fundadora d’A Bola TV, onde permaneceu, por cinco anos, como repórter. Em 2016, surge um novo convite, desta vez para a fundação da Sport TV +, o canal aberto do grupo Sport TV, onde trabalha até ao momento.

Atualmente, o escsiano é pivô e está afeto ao prime time do canal. No seu dia-a-dia, após inteirar-se da atualidade, prepara os programas e as entrevistas que tem para fazer. Dependendo das marcações, conta “sempre com três/quatro horas em estúdio, no mínimo”. Para além dos noticiários, André apresenta, semanalmente, o Aposta Tripla, um programa de debate desportivo. O jornalista conta que, agora, se sente “ótimo” na Sport TV, pois consegue conciliar duas das suas “paixões”: o desporto – neste caso, o futebol – e a televisão.

Três anos intensos

André considera que os três anos em que esteve na ESCS o “moldaram muito, sobretudo, enquanto pessoa”. Olhando para trás, recorda o tempo que passou na Escola, onde “entrava de manhã e saía à noite”, e afirma que “fá-lo-ia outra vez, com muito orgulho”. No que diz respeito ao mercado de trabalho, o escsiano defende que “ninguém sai [da instituição] despreparado para aquilo que é exigido”.

O jornalista destaca o corpo docente do curso.
Fotografia: Gabcom (Serviço de Comunicação da ESCS)

“Enquanto profissional, tenho colegas que estudaram em praticamente todos os cursos de Comunicação Social do país e (…) não consigo encontrar ninguém que me consiga identificar um curso melhor que o da ESCS”, defende. Para tal, contribuem os docentes que, aula após aula, transferem, para os estudantes, a sua experiência académica e profissional, preparando-os para “a exigência da vida de um jornalista”. “É difícil entrares numa aula na ESCS em que não ouças falar do mercado de trabalho. Eles preparam-te para isso”, conclui.

Por fim, desafiámos André Neto de Oliveira a responder a uma espécie de Questionário de Proust:

Um objeto essencial para o teu dia-a-dia.
Telemóvel.

Uma cidade ou um país.
Rio de Janeiro, Brasil.

Uma música ou uma banda.
Mumford and Sons.

Um filme ou um realizador.
Steven Spielberg.

Um livro ou um escritor.
Eça de Queirós.

Uma série.
Game of Thrones.

Redação o exterior.
Exterior.

Papel ou digital.
Papel.

Uma referência profissional.
Rodrigo Guedes de Carvalho.

Quando for grande, quero ser.
Um pivô de referência, no Jornalismo português.


Conheça aqui mais histórias de perfis de Jornalismo.