Globcom 2013

Publicado: 28 março 2013

Um grupo de 14 alunos da ESCS, dos 2.º e 3.º anos da licenciatura em Relações Públicas e Comunicação Empresarial (RPCE), vai viajar até à África do Sul, a fim de participar na décima primeira edição do projeto Globcom.


[Fotografia] Equipa portuguesa do projeto Globcom com a Prof.ª Doutora Sandra Pereira (à esq.).

O Globcom é um projeto multicultural de comunicação global, em que alunos de todo o mundo são agrupados em e-teams, constituídas por elementos de vários países. Mediante um briefing apresentado por um cliente real, cada e-team tem de desenvolver uma proposta tendo em vista a resolução do problema. O projeto culmina com a apresentação das propostas feitas ao cliente, num simpósio anual. O cliente da edição de 2013 é o Departamento de Turismo Stellenbosch 360º, um organismo local de promoção e desenvolvimento do turismo da cidade histórica de Stellenbosch, na África do Sul. As sete e-teams da ESCS, única instituição de Ensino Superior portuguesa a participar neste evento, são constituídas por 14 alunos do curso de RPCE: Leonor Biu e Romina Santos, Madalena Morais e Leandro Contreras, Margarida Forte e Manuel Barbosa, Diogo Belizário e Sofia Bichão, Jaime Lourenço e Alexandre Simão, Diogo Rodrigues e Sílvia Carrilho e Andreia Santos e Tatiana Nunes.

Experiência pessoal e mais-valia profissional

Os estudantes que participam no projeto foram integrados em sete e-teams multinacionais e é com os elementos dessas equipas virtuais que têm de criar um plano de comunicação para apresentar ao cliente. “Esta iniciativa prepara os alunos para trabalhar em contextos de competição e gestão de tarefas com equipas multiculturais. Habilita-os a pensar e a propor soluções de comunicação em contextos mais alargados do que aqueles que normalmente trabalham nos desafios dos casos nacionais”, referiu a Prof.ª Doutora Sandra Pereira, diretora da licenciatura em RPCE. Para o aluno Leandro Contreras, que juntamente com Manuel Barbosa e Madalena Morais constituem a equipa de comunicação da comitiva portuguesa, “uma das mais-valias da participação neste projeto é a oportunidade de trabalhar com equipas de outros países, de diferentes culturas, e ver como variam as formas de ensino de país para país”. Para o aluno, estas iniciativas internacionais nas áreas de formação da ESCS são muito aliciantes e “o fato de trabalharmos um briefing de um cliente real, que poderá utilizar o nosso plano de comunicação na sua estratégia, dá-nos motivação extra.” Esta experiência permite aos alunos alargar horizontes em termos pessoais ao mesmo tempo que é uma mais-valia profissional no futuro. Para a docente, os alunos da ESCS “estão aptos a liderar, como eles próprios se apercebem à medida que vão tendo contacto com colegas de outros países”.

Divulgação do projeto

As funções de Jaime Lourenço, um dos press officers da equipa portuguesa, passam pela divulgação do projeto em Portugal, através dos meios de comunicação. “Tendo em conta a situação atual do país, é importante dar a conhecer que um grupo de alunos portugueses vai até à África do Sul participar num evento desta natureza”, disse. Na tentativa de angariar alguns recursos financeiros, os estudantes estão a apostar na divulgação deste projeto, “pois esta iniciativa exige um grande esforço monetário, tendo em conta o preço das viagens para a África do Sul”, referiu Manuel Barbosa. Os alunos pretendem também dar a conhecer o nome da ESCS ao resto do mundo e que “somos a única escola portuguesa inserida neste projeto”, complementa. Para fazer a divulgação, a equipa Globcom apostou no Facebook e no Twitter, bem como no envio de comunicados de imprensa para vários órgãos de comunicação social. Os alunos já falaram com a Direção da ESCS, “que está disposta a ajudar no que puder, a nível da divulgação e idas a reuniões para dar a entender a eventuais parceiros que este é um projeto da Escola e não só de alunos”, relatou a aluna Madalena Morais.