Foco para aprender

Publicado: 02 agosto 2019

PERFIL RPCE: RITA CASTANHEIRA

Rita Castanheira passou por empresas como a EMEL, a Shift Thinkers e a Santa Fé Associates até chegar à Lacoste Portugal, onde é, hoje, Diretora Comercial da marca.

No decorrer do Ensino Secundário, Rita Castanheira decidiu fazer uma pausa nos estudos. Regressou, após três anos, decidida a terminar o 12.º ano, com uma boa média, para poder ingressar na ESCS, no então curso de Comunicação Empresarial. “Claramente, era a área em que eu me sentia mais à vontade”, afirma. A escsiana começou a trabalhar em Comunicação, ainda durante a licenciatura, na EMEL. Depois, abriu um restaurante e passou por duas agências até chegar à Lacoste Portugal, onde é, atualmente, Diretora Comercial.

Rita Castanheira é licenciada em Comunicação Empresarial.
Fotografia: Gabcom (Serviço de Comunicação da ESCS)

Boas recordações

Rita entrou na ESCS em 1999, três anos mais velha do que os estudantes que ingressaram no mesmo ano, mas “com o foco para aprender”. A escsiana confessa, divertida que, ainda hoje, os colegas se lembram dela como a pessoa que estava sempre a levantar o braço e a fazer questões nas aulas.

A escsiana ingressou na Escola em 1999.
Fotografia: Gabcom (Serviço de Comunicação da ESCS)

Da Escola, recorda os “muito bons professores” que a “fizeram pensar e questionar” e o contacto com “realidades de briefings concretos”, que lhe conferiram “uma grande estaleca na resolução de problemas”, algo que considera “essencial”. A antiga estudante refere, ainda, que a ESCS “promove muito a interação entre professores e alunos e dos estudantes entre si”, o que é “uma mais-valia brutal”. “Guardo ótimas memórias, em todos os aspetos”, conta.

Percurso profissional

Rita passou por várias experiências profissionais até integrar a equipa da Lacoste Portugal.
Fotografia: Gabcom (Serviço de Comunicação da ESCS)

Rita começou a trabalhar na EMEL, em 2003, na área das reclamações, através de um estágio oferecido pela ESCS. Depois do período de estágio, foi convida a integrar a equipa, na qual permaneceu durante três anos. “Foi uma escola brutal”, afirma, relativamente à experiência. Em 2005, despediu-se para abrir um restaurante em parceria com a irmã. Contudo, também não era o que ambicionava fazer a nível profissional. “O que eu queria mesmo, na altura, era trabalhar em agência”, esclarece. Em 2008, cumpre o seu objetivo na Shift Thinkers, uma empresa de criação e gestão de marcas, com a função de Account Manager, chegando, depois, a Senior Account Manager. Em 2011, começa a trabalhar na Santa Fé Associates, como Account Director, onde gere uma equipa de accounts. Por fim, em 2013, é convidada por uma escsiana a participar num processo de recrutamento para a Lacoste Portugal, conseguindo o lugar de Marketing & Wholesale Manager. No início de 2018, Rita é promovida a Diretora Comercial da marca.

O dia-a-dia na Lacoste

O dia-a-dia da escsiana “pode ser um bocadinho caótico”. “Tenho uma função muito pedagógica porque procuro que as equipas de loja sejam o mais empowered possível”, na medida em que “são elas que dão a cara pela marca”, explica. Como tal, tenta que os colaboradores tenham as “ferramentas necessárias” para dar uma “boa experiência ao cliente”. Para além desta área, Rita desenvolve, ainda, o negócio wholesale, dedicado aos clientes franchisados, e a vertente de marketing. “Depois, há toda a parte de burocracia e reporting que uma empresa multinacional” tem, conta.

A antiga estudante trabalha na Lacoste Portugal desde 2013.
Fotografia: Gabcom (Serviço de Comunicação da ESCS)

Humildade e sentido crítico

Rita afirma que “não se sai da escola especialista em nada”, mas sim “preparado para pensar, crescer e aprender de uma forma estruturada”. A escsiana considera que “qualquer curso dá know how”. Porém, o que distingue a ESCS das outras instituições é “a capacidade de dar os recursos para a pessoa continuar o seu percurso”, quando termina a licenciatura. “Acho que a Escola, em particular, sabe fazer isso muito bem, com uma lógica muito hands on, que é o que o mercado nos pede”, completa. A escsiana conclui, defendendo que a sua formação académica contribuiu para desenvolver humildade e sentido crítico, algo que “é muito incentivado” na instituição e que leva “para o resto da vida”.

A escsiana defende que a Escola dá, aos estudantes, os recursos para continuarem o seu percurso, quando terminam a licenciatura.
Fotografia: Gabcom (Serviço de Comunicação da ESCS)

Por fim, desafiámos Rita Castanheira a responder a uma espécie de Questionário de Proust:

Um objeto essencial para o teu dia-a-dia.
Telemóvel. Para o bom e para o mau.

Uma cidade ou um país.
Paris. Porque tenho ido muito lá, em trabalho, nestes últimos anos, e porque, de facto, é uma cidade com um encanto e uma magia muito especiais.

Uma música ou uma banda.
Nina Simone. Qualquer música dela.

Um filme ou um realizador.
Laranja Mecânica, de Stanley Kubrick.

Uma série.
Mr. Robot.

Uma referência profissional.
A primeira agência onde eu trabalhei, a Shift Thinkers. É pequenina, mas tem uma metodologia de análise incrível e são verdadeiramente estratégicos. Portanto, guardo uma poderosa referência dela.

Quando for grande, quero ser.
Completa. Quero ter tempo e viver de uma forma equilibrada e sã.


Conheça aqui mais histórias de perfis de Relações Públicas e Comunicação Empresarial.