Docente da ESCS colabora em livro

Publicado: 06 outubro 2017

A docente Maria João Centeno é coautora do novo livro “A Cultura na Primeira Página”.

A Prof.ª Doutora Maria João Centeno integra a equipa de investigadoras do livro “A Cultura na Primeira Página: uma Década de Jornalismo Cultural na Imprensa em Portugal”. A docente da ESCS é, ainda, autora do artigo “As Capitais Europeias da Cultura entre o envolvimento e a participação, O papel dos media”.

Da investigação ao livro

O livro, editado pela Escritório Editora e organizado por Carla Baptista, é o culminar do projeto de investigação “Cultura na Primeira Página”, desenvolvido no Centro de Investigação Media e Jornalismo (CIMJ) e financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT). A professora Maria João Centeno é uma das sete investigadoras, oriundas de diferentes instituições de ensino, que integrou o projeto, sendo a única da ESCS.

A obra analisa uma década de jornalismo cultural em Portugal, entre 2000 e 2010. As autoras debruçam-se sobre a evolução da cobertura jornalística das temáticas da cultura, nas primeiras páginas de seis publicações nacionais (Público, Diário de Notícias, Correio da Manhã, Jornal de Notícias, Expresso e Visão). No final da investigação, as investigadoras concluíram que, no período em análise, houve uma diminuição da visibilidade da cultura nos media portugueses.

Sinopse

Leia, abaixo, a sinopse do livro:

Talvez um dia os jornais se façam sem jornalistas. E sem notícias. Pelo menos, sem notícias sobre temas culturais. Os resultados do projeto de investigação Cultura na Primeira Página mostram uma diminuição da visibilidade da cultura nos media.
A representação jornalística da cultura coloca-a em locais que não costumava frequentar: em paisagens de lazer e entretenimento. Dentro de um paradigma em que tudo é cultural, os media tornaram-se alegres companheiros desta viagem pelas esquinas da diversão e da boa vida.
Neste livro, vários autores refletem sobre as transformações do jornalismo cultural, as razões que alteraram tão profundamente uma relação antiga entre jornalismo e cultura e os impactos para a cidadania de uma diminuição da crítica e da reflexão sobre o campo cultural.