Intercâmbio (mobilidade fora da Europa)

Testemunhos

Experiência no Brasil

Explorar um país e uma cultura diferente é uma experiência enriquecedora para qualquer aluno. A ESCS disponibiliza programas de intercâmbio com Instituições do Ensino Superior no Brasil. Do outro lado do Atlântico, Inês Carreira e José Almeida contam a sua história.

Do outro lado do atlântico

Durante 6 meses, Inês e José estiveram a estudar no Brasil. As palavras evidenciam a satisfação que estes alunos de Jornalismo sentem ao participar neste intercâmbio.

Estudar na América do Sul é uma oportunidade de crescimento pessoal e profissional. “Não só tomei um contacto enriquecedor com estratégias pedagógicas diferentes, como tive oportunidade de fazer disciplinas alternativas dentro da minha área de estudos”, afirma Inês.

Por seu lado, José confessa que estudar no Brasil tem sido uma experiência única, “principalmente devido ao facto de o espírito académico, tanto por parte de alunos como professores, ser completamente diferente do vivido em Portugal, tendo estes uma relação muito mais próxima”.

Para José, a formação também foi bastante enriquecedora. “Tive a oportunidade de ter aulas com matérias diferentes às da ESCS, que transmitem uma visão diferente do mundo, em geral, e do jornalismo, em particular, na perspetiva de um país em desenvolvimento”.

Repetir a experiência

Inês e José não têm dúvida de voltar a esta terra tropical. “Voltaria sem dúvida! De tal forma, que pondero mesmo viver no Brasil num futuro próximo” afirma Inês. “Logicamente, voltaria a repetir esta experiência.

O intercâmbio é uma grande oportunidade para os alunos universitários, que todos devem aproveitar, pois dá-nos uma aprendizagem única a todos os níveis”, diz José.

Porquê Brasil?

“Mal descobri que o IPL tinha um protocolo com uma universidade no Rio de Janeiro, nem pensei duas vezes”, afirma Inês. Para esta aluna de Jornalismo, foi na ESCS onde percebeu a importância dos autores brasileiros no seu curso. “Fui percebendo que existiam muitos autores e estudos brasileiros importantes ligados às Ciências Sociais e também ao ensino e à investigação em Jornalismo”.

Para José, as razões que o levaram a participar neste intercâmbio foram diferentes: “decidi ir estudar para o Brasil um pouco para fugir à "rotina" dos alunos que vão para a Europa, até porque dos protocolos estabelecidos com universidades europeias que me interessavam não houve nenhuma que me desse uma garantia de qualidade de vida que, para um europeu, se garantiria no Brasil”. José considerou que “seria interessante ter uma experiência totalmente diferente da de um estudante na Europa, num contexto cultural que apesar de tudo tem várias semelhanças com o português, como é óbvio”, afirma.