Intercâmbio (mobilidade fora da Europa)

Para além de usufruírem da mobilidade ao abrigo do Programa Erasmus+, os estudantes da ESCS têm também a possibilidade de fazer um período de mobilidade em intercâmbio em instituições fora da Europa. Aplica-se a este tipo de mobilidade as mesmas regras que vigoram no âmbito do Programa Erasmus+, nomeadamente no caso do reconhecimento académico.

Despesas:

O IPL não fornece qualquer Bolsa de Estudo ou de Mobilidade aos estudantes que se candidatem a mobilidades de Intercâmbio fora da Europa.

Candidaturas:

Os interessados em fazer um período de mobilidade em intercâmbio fora da Europa durante o ano académico de 2019-2020 deverão fazer a sua candidatura até dia 31 de janeiro de 2019, através do seguinte endereço:

https://portal.ipl.pt/mobilidade/page

O acesso e a autenticação é feita com as credenciais do sistema NetPA.

A lista atualizada de instituições de destino, por curso, está disponível na plataforma de candidatura.

Decorrente do estabelecimento de Acordos Bilaterais entre o Instituto Politécnico de Lisboa e Instituições de Ensino Superior do Brasil, os estudantes da ESCS poderão apresentar a sua candidatura a um período de mobilidade de um semestre ou de um ano em universidades do Brasil, Canadá, México ou Estados Unidos da América.

Propinas
Ao abrigo dos referidos Acordos de Intercâmbio, os estudantes estarão isentos do pagamento de qualquer propina na Instituição de Acolhimento, mantendo apenas o pagamento de propinas na ESCS. Contudo, qualquer outra despesa resultante do período de mobilidade – deslocação, alojamento, seguro de saúde, vistoetc. – será da inteira responsabilidade do estudante.

Seleção dos candidatos
Após a candidatura, a seleção final dos estudantes em intercâmbio será da responsabilidade das Instituições de Acolhimento, conforme a disponibilidade para acolher estudantes em mobilidade e o perfil dos candidatos. No entanto, os estudantes interessados em participar neste programa de mobilidade deverão sempre deslocar-se ao GRIMA, de forma a ser estabelecido o primeiro contacto institucional junto da universidade parceira.
Tendo em conta a documentação requerida pelas universidades não-europeias (curriculum vitae, cartas de recomendação, histórico escolar, seguro de saúde etc.) e os naturais procedimentos burocráticos – como o Visto de Estudante – recomenda-se vivamente aos potenciais interessados que iniciem os seus processos com a maior brevidade possível.
Os estudantes interessados em apresentar candidatura ao programa de mobilidade deverão consultar o site da respetiva universidade e reunir a documentação requerida.