Comunicar (com) Liberdade & Responsabilidade – Consumo Sustentável

A Licenciatura em Relações Públicas e Comunicação Empresarial (RPCE) e o Mestrado de Gestão Estratégica das Relações Públicas (GERP), em parceria com a Plataforma Portuguesa das ONGD e a DECO (Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor), convidam:

Media Talks (3.ª edição): Comunicar (com) Liberdade & Responsabilidade – Consumo Sustentável: os desafios da indústria têxtil — webinar
Data: 28 de maio
Hora: 14h30 às 17h

A língua de trabalho utilizada neste webinar será o Inglês.


Inscrições

A participação é gratuita, mas a inscrição é obrigatória.

O link do webinar só será disponibilizado aos inscritos.


Enquadramento das Media Talks:

No âmbito da iniciativa 7 Dias com os Media, promovida pela Comissão Nacional da UNESCO, a licenciatura em Relações Públicas e Comunicação Empresarial e o mestrado em Gestão Estratégica das Relações Públicas, da Escola Superior de Comunicação Social, associam-se à Agenda 2030, à Plataforma Portuguesa das ONGD e à DECO, para promoverem, pelo terceiro ano consecutivo, uma reflexão sobre a liberdade de expressão e a promoção de uma utilização responsável dos meios e dispositivos que temos, hoje, à nossa disposição, para comunicar.
Recordemo-nos de que a liberdade de expressão é um direito humano inalienável e estabelecido pelo artigo 19.º da Declaração Universal dos Direitos Humanos e que só a liberdade de informação/comunicação permite garantir ao público a possibilidade de fazer escolhas esclarecidas e tomadas de decisão autónomas, que visem a prossecução da paz e do desenvolvimento sustentável.
Num momento em que expressões como “fake news” ou “post-truth” invadem o nosso quotidiano, urge discutir com profissionais de comunicação mais jovens, e com estudantes, como promover um acesso informado e responsável à informação bem como o papel da comunicação como negociação, para usar a expressão de Wolton, na promoção de um mundo mais responsável, um mundo onde cada um é responsável por si, mas também pelo Outro, mesmo que diferente ou por isso mesmo.
Mas mais do que nunca, nesta crise que não deixa margens para dúvidas de que este é um planeta global, em que a redução da diversidade ambiental facilita realidades como a do SARS-CoV-2, questionar alguns dos aspetos mais icónicos da viragem neoliberal do final do século passado, como o SETOR da MODA, é mais que uma necessidade académica de cariz teórico. É o assumir da missão do Ensino Superior, formar cidadãos críticos, responsáveis e capazes de fomentar mudanças no mercado de trabalho e nas políticas empresariais.


PROGRAMA

14h30 — Boas-vindas

14h45 — Exibição do Filme “Montanha Têxtil: o fardo oculto dos resíduos da moda”
>>>>> 15h — Fellipe Lopes (realizador do filme)
>>>>> 15h10 — Emily Macintosh (coordenadora da campanha #WardrobeChange do European Environmental Bureau)

15h20 — Intervalo

15h30 — Conferência Sustainable Fashion?, com Marine Betrancourt (communication manager, na VEJA)

16h30 — Encerramento


Sobre o filme “Montanha Têxtil: o fardo oculto dos resíduos da moda” – Os impactos globais da Indústria Têxtil:

O filme “Montanha Têxtil: o fardo oculto dos resíduos da moda” aborda os impactos globais da indústria têxtil e do modelo de consumo que ajuda a promover. Esta curta-metragem foi produzida no âmbito do projeto Make Europe Sustainable for All e faz parte da campanha #WardrobeChange. A exibição desta curta-metragem será seguida de intervenções do seu realizador, Fellipe Lopes, e de Emily Macintosh, responsável de comunicação do European Environmental Bureau e coordenadora da campanha #WardrobeChange.

Sobre a conferência Sustainable Fashion?:

In 1999 the United Nations (UN) Secretary-General, at that moment, Koffi Annan, urged business leaders to join the United Nations in global efforts “to give a human face to the global market”. The 2000 Millennium Development Goals Declaration stressed the need for a global partnership to reduce extreme poverty. Twenty years later, the UN Secretary-General, António Guterres, considers that the 2030 agenda and the Sustainable Development Goals (SDS) are our collective response to building a fair globalization, to building prosperity. In 2015, the launch of the SDG’ three main words emerged, precisely, as the gathering and summary of the 2030 agenda: people, planet and prosperity. When speaking about prosperity we are, it goes without saying, speaking about what has been coined as sustainable prosperity. Could we as communication practitioners urge enterprises, industries and organizations in general to compromise themselves, in a global effort, to understand the concept of profit differently? Focusing our attention on the fashion industry, in the production of clothes and shoes that, even if we don’t like to think about it, is a significant contributor to environmental and human damage, what does it mean to speak about sustainable fashion? When it comes to fashion sustainability, we are sent massively mixed signals. Does it mean local production, emerging designers, rented clothes, organic cotton, or clothing/shoes made from recycled bottles? Moreover, may we speak about sustainability without addressing the whole system of fashion?
May we speak about sustainable fashion without it being an oxymoron?
To answer these and other questions we welcome VEJA communication manager, Marine Betrancourt, who has been working for one of the most trendsetting, challenging and amazing European brands that, due to VEJA Brazilian factories, also speaks Portuguese, besides French.

Vídeo de apresentação da VEJA:


Organização:
• Licenciatura em RPCE
• Mestrado em GERP, no âmbito da unidade curricular de Campanhas de Comunicação Pública
• Plataforma Portuguesa das ONGD
• DECO (Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor)